6 dicas para começar a pensar em inglês

Deixe a decoreba de lado e comece a pensar em inglês. Veja como nossas dicas vão ajudar você até a sonhar no idioma e ganhar fluência mais facilmente!

Quer aprender inglês rápido, mas passar horas decorando palavras, verbos e expressões não está funcionando? Calma: não é só com você que isso acontece. O que você precisa é aprender a pensar em inglês.

Os idiomas têm diferenças estruturais marcantes, tão características que se você pensar em português para então traduzir para o inglês, pode perder a motivação por achar que não está conseguindo aprender. 

Mas se você acha que pensar em inglês é uma realidade distante, preste atenção nesse post: com as nossas dicas você vai até chegar a sonhar em inglês. Preparado?

1 – Aprenda a pensar em inglês incorporando o idioma ao seu dia a dia

Quanto mais você vivenciar o inglês, mais fácil será começar a pensar em inglês. Para isso, cerque-se do idioma por todas as partes. Deixe o português de lado o máximo possível e elimine de vez qualquer programa dublado, seja no rádio, seja na TV ou no cinema.

Experimente, por exemplo, colocar legendas em inglês. Assim você vai ouvir e ler ao mesmo tempo, aumentando a sua imersão no idioma. Procure ouvir rádios americanas, leia livros em inglês, procure sites americanos. Logo você estará tão habituado com o idioma que nem vai perceber a diferença.

2 – Aprenda vocabulário de uma forma diferente

Procure formas diferentes de melhorar seu vocabulário. Uma delas é procurando aprender frases, e não apenas palavras. Nosso cérebro funciona melhor quando os novos aprendizados são contextualizados.

Se não conseguir fazer essa contextualização automaticamente, uma boa ideia é procurar no Google. No entanto, quanto mais frases você relacionar a exemplos práticos do dia a dia, mais facilmente seu cérebro se habituará a pensar em inglês.

3 – Não use dicionários bilíngues

Você lembra das suas aulas de português na escola? Com certeza usava um dicionário português-português para buscar sinônimos ou descobrir o significado de um termo. Faça o mesmo para pensar em inglês: em vez de tradução, procure sinônimos para a mesma palavra ou uma explicação para seu significado.

Dessa forma seu cérebro criará várias redes de conexão e sentidos com aquela palavra. Mas para isso, usar apenas dicionário inglês-inglês é fundamental. Outra dica é utilizar dicionário de papel em vez dos dicionários online. Por mais eficientes que estes sejam, o cérebro grava palavras escritas no papel com mais facilidade.

 4 – Cultive o hábito de falar sozinho

Já vai longe o tempo em que se achava que falar sozinho era um hábito ruim. Hoje sabe-se que não só faz bem à saúde como é sinal de inteligência, de acordo com pesquisa da neuropsicóloga Paloma Mari-Beffa, da universidade de Bangor.

De acordo com o estudo, falar em voz alta faz com que a mente se concentre, melhorando muito o entendimento da situação e de nossa capacidade cognitiva. Por isso, falar em voz alta, consigo mesmo, em inglês ajudar o cérebro a pensar em inglês.

Converse com você mesmo sobre o seu dia, faça planos para o dia seguinte, reflita sobre determinada situação. Isso também o ajudará a praticar antes de explicar alguma coisa para outra pessoa no idioma.

5 – Assista a palestras e entrevistas em inglês

Palestras interativas e entrevistas de especialistas ou figuras famosas com as quais você tem afinidade são ótimas para treinar o cérebro a pensar em inglês. Isso porque elas demandam atitudes espontâneas, respostas inusitadas, inesperadas e muitas vezes divertidas que despertam outras partes do cérebro, agregando prazer ao aprendizado.

Não tenha medo de não entender: volte, assista de novo, anote e busque o que não compreendeu. Com certeza a palavra ou expressão vai se fixar de forma muito melhor na sua memória, de forma que você se lembrará dela naturalmente em ocasião semelhante.

6 - Pratique, pratique, pratique

Ninguém aprende a andar de bicicleta, a nadar ou a dirigir só olhando, ouvindo ou lendo. Sem prática não há aprendizado real, inclusive para o cérebro. Da mesma forma que os músculos, ele também precisa praticar para aprender a pensar em inglês.

Procure, por exemplo, incluir expressões em inglês ou respostas inteiras nos seus diálogos com outras pessoas – mesmo que seja só na sua mente, caso o interlocutor não domine a língua.

Por outro lado, procure se aproximar de quem já tem fluência ou está aprendendo inglês, de forma a poderem conversar e praticar entre si. Nas aulas de inglês não fale em português, mesmo que seja para pedir licença ou falar algo fora do contexto da aula.

Pratique, pratique, pratique sempre. Quando mesmo esperar, você estará até sonhando em inglês – e alcançado o nível de proficiência que sempre desejou!

Já conhece a metodologia da Speed Up? Veja ver como aprender inglês de forma rápida e definitiva em apenas 18 meses de aula!